domingo, 19 de dezembro de 2010

Amor, de novo


Mais do que não saber, eu não gosto de falar de amor, até porque acho um saco a definição que a maioria das pessoas tem sobre o amor e não tô a fim de parecer um alien, não nesse momento. Não que eu não seja, of course.

O Marcos Caiado, de quem sigo o blog e os poemas há vários anos, encerrou o assunto pra mim.

Ele disse que... Hehehehe. Quer saber? Vai lá no blog dele e não seja preguiçoso: deixa um comentário! O cara merece.

Ah, tem um link aí ao lado, mas como eu sei que tu és MUITO preguiçoso, que seja, clica AQUI.

4 Deixe seu comentário::

Marcos Caiado disse...

Que coincidência! Ontem publiquei uns versos teus no meu Twitter, hoje tu me indicas no seu blog. Bom te ler e, engraçado!, levar a impressão de que o reencontrei depois de tempos. Abs.

Wladimir disse...

Cara, eu juro que não sabia, até porque não tenho conta do passarinho. Hehehehehe. Diz aí, que versos meus tu postaste? Bah, nunca mais escrevi um poema que seja... baita preguiçoso.

Marcos disse...

Eis:
Vossa Excelência! Vossa Santidade! Vossa Eminência! Quanto mais tarado ou safado, mais bem tratado. Haja paciência! - Wladimir Evangelista

10:28 PM Dec 17th via web

O pai-de-santo faz o requerimento... Mas nem sempre o santo despacha. - Wladimir Evangelista

Wladimir disse...

Bah, tu garimpaste coisas de 2008! Não lembrava desses. Na época estava estudando leis para um concurso. Provavelmente daqui a 20 anos esses serão versos atuais, do jeito que a coisa vai...