domingo, 5 de dezembro de 2010

Lost for Words

Estou ouvindo Au Revoir, Simone, enquanto jogo palavras cruzadas. Em inglês. É meu jeito de "estudar" inglês sem levantar a bunda da cadeira e sem mexer no bolso. Coisas de um pobre preguiçoso. Ou um preguiçoso pobre, tu escolhes.

Fase Expert. No meio de 122 casas apenas uma letra preenchida: G. É a primeira de uma palavra de sete letras. É tudo que eu tenho para tentar descobrir qual é a palavra. Das outras trinta palavras, nem uma letra sequer.


Existem 837 palavras em inglês que começam com G e possuem sete letras. Como eu sei disso? Segredinho de rato de internet. Se eu tivesse paciência bastaria preencher os espaços com cada uma dessas 837 palavras até encontrar a certa. Eu não tenho. E perderia a graça da procura, o prazer da descoberta, o "Ahá, consegui!". Por que perder essa sensação propositalmente?


Esqueci de dizer: essas cruzadas são diferentes. Não existe uma definição que tu devas conhecer ou concluir. Existem apenas os espaços a serem preenchidos. Como esses espaços na cabeça da gente. E ao lado, uma caixa com todas as letras do alfabeto. A boa notícia é que quando tu acertas uma letra, consequentemente ela é preenchida em todas as posições nas quais aparece. A má notícia é que, quando tu erras a letra, aí fudeu. Tomar decisões é sempre difícil. Claro que pode ser divertido se tu não sofres por qualquer baboseira. Meu caso.


Por experiência, aprendi a procurar letras que se repitam dentro da palavra. Como as pessoas. Se tu observares bem, vais perceber como elas se repetem. Isso te dá um certo poder de "pré visão". No entanto, te torna pedante aos olhos alheios. Nada é perfeito mesmo.


Nesse caso, a segunda letra se repete na sexta casa. Se essa letra repetida for um A, o número de palavras possíveis cai para 22. Fácil, né? Mas, eu disse "se". Algumas palavras eu nem coloco no quadro, apenas imagino. Elas devem fazer sentido próximo das outras. Afinal, por que ficar próximo se não faz sentido?


Então, sem muita dificuldade, concluo que a segunda letra não é um A. E se fosse um B? Não pode. Não existe nenhuma palavra em inglês que comece com G e seja seguida de um B. Se o jogo fosse meu eu poderia inventar palavras, como eu fazia quando era apenas um moleque correndo nas ruas poeirentas de Gravataí. Mas o jogo é alheio. Ou sigo as regras ou caio fora. Como fiz no meu último emprego: as regras eram estúpidas, eu não me divertia, então caí fora.


E se fosse um C ou um D? Mesmo caso do B. Não existem. Sigo na busca. Existem apenas 3 palavras que comecem com G e tenham um E na segunda e na sexta posição. E nenhuma das 3 faz sentido. Em duas delas, o E aparece mais de duas vezes. A terceira cria palavras absurdas em suas ramificações. Sigo.


Tem gente que acha chato jogar palavras cruzadas. Outras consideram um jogo estúpido, uma perda de tempo. Eu, não. Eu gosto do desafio mental, do processo. Eu tive uma namorada que não queria o processo, queria as coisas prontas, queria que eu usasse palavras doces, que fizesse promessas eternas, como se nada mudasse com o tempo, como se a vida e os relacionamentos não fossem dinâmicos. Nunca disse o que ela queria ouvir simplesmente por que não podia mentir. Um dia, óbvio, ela desistiu.


Vamos para o F e o H: também não existem.


Letra I: apenas uma palavra, GIARDIA, uma lombriga, provoca diarréia. Como certas pessoas que dão dor de barriga na gente. Esta até que poderia ser se o A não aparecesse mais de uma vez.


Letra J: nada. Letra L: 2 palavras. Letras M e N: nada. Letra O: 7 palavras, mas nenhuma faz sentido no contexto. Letras P e Q: nada. Letra R: 10 palavras, mas nenhuma se insere adequadamente. Letras S e T: nada. Letra U: 3 palavras que não servem. Letras V, W, X, Y e Z: nada. Acabou o alfabeto e não encontrei. Vou ter que recomeçar. Deixei passar a palavra. Achaste que seria fácil? É como na vida. Às vezes a gente examina todas as opções e ainda assim não encontra uma saída.


No entanto, agora, tenho menos opções para analisar: A com 22 palavras, O com 7 palavras e R com 10. Apenas 39 palavras. Uma delas deve servir.


Também esqueci de dizer: tem um botão chamado Give Up. Desistir. Clicando nele o quadro todo é preenchido. A vida não tem um botão assim, tem? Quero dizer, podemos desistir, mas as respostas não aparecem imediatamente após decidirmos. Na maioria dos casos em que desistimos de algo ou alguém, ficamos sem saber o que realmente teria acontecido se insistíssemos mais um pouco. Qual seria a reposta certa, afinal? Nas palavras cruzadas sempre tem, mas e na vida?


Olho para o botão: ainda não. Sou teimoso, quero achar essa palavra.


Vamos de novo: A. Revirei todas as 22 palavras e nada. O: nenhuma das 7 se encaixou.
Cansaço mental. Pausa para ir comprar pão e fazer um lanche. Seguida de uma pausa para dar atenção a três dos seis gatos. Quando um gato quer atenção, tu "tens" que dar e acabou a conversa.


..................................................................


Faltam as 10 palavras com R na segunda e na sexta posição. Tem que ser uma delas!

Ahá, consegui!


Eu já tinha passado mais de uma vez por essa palavra: GROCERY. Não, apesar de parecer, não é grosseria. Falso cognato. Risos. É mercearia, mercado, lugar onde se compram alimentos. E onde tu achas que eu fui buscar meu pão uma hora atrás? Na grocery do Gringo. Hehehehe.


Ufa! Foram umas seis horas em volta disso. Tudo porque eu não tenho paciência. Imagina se tivesse. :)


A segunda palavra que encontrei foi ARCTIC (Ártico). A terceira, PETITION (petição). Depois disso, levei menos de três minutos para descobrir as outras 28 palavras. Barbada!
Quando tu descobres a palavra certa para começar uma história, até falar a verdade fica fácil.


Bom, agora com licença que vou pra cozinha limpar a bagunça que provoquei. Deixei 6 ovos cozinhando quando voltei da grocery, a água secou e alguns estouraram. Tem gema de ovo na parede, no piso e na cortina. Em busca da palavra certa, às vezes esquecemos das coisas banais da vida. Mas também pode ser a idade. Do que estávamos falando mesmo?

3 Deixe seu comentário::

Gisele Regina de Azevedo disse...

Wlad, haja macheza prá fazer um troço desses, viu?! Congratulations.
Bom demais ler você. Beijocas,

Guilherme Tolotti disse...

Grocery... será que isso tem algum significado oculto?

Hehehehe, abraço!

Wladimir disse...

Gisele: macheza?? só tu mesmo pra ter uma idéia dessas! Hehehehehe. Imagina o índio velho dizendo: sô macho, tchê! Faço até palavra cruzada em ingrês!

Guilherme, até pode ser. Eu prefiro o mercadinho do Gringo à padaria para comprar pão por que nesta o pessoal é muito "groço"! kkkkkk